ECOFOTO | fotografia + natureza + birdwatching + expedições | ECO FOTO

O resgate do Chico: as pessoas certas, no lugar certo e um final feliz!

Olá pessoal.

Hoje trago um post sobre um fato triste mas com final feliz que aconteceu domingo, 06 de fevereiro de 2011.

Depois das férias e compromissos de final de ano, enfim a primeira Passarinhada na companhia dos amigos Paulo Tellis, Mário Bucci,  Carlos Tellis e Luis Tiago  pela área rural de Iracemápolis, local conhecido como  “QUINTAL”.

Após algumas paradas em alguns pontos, resolvemos ir ver o nível das represas já que no final do ano a água  havia dado lugar aos bancos de areia em função da estiagem. Represa cheia, espelho d’água lindo se não fosse por um pequeno detalhe que me chamou a atenção loga na chegada: um Frango-d’Água jovem com as pernas enroladas com algum tipo de cordão/linha. Algo deixado por algum frequentador do local…

A cena era simplesmente triste. Um pequeno Frango-da-Água-Comum com grandes dificultades de nadar. Jamais eu iria interferir se fosse um fato natural, porém neste caso onde o problema foi gerado por um fator “humano” não poderia(amos) ficar indiferentes.

Logo eu (Tiago) aviso o pessoal: “- Vou pra água, mas não sei nadar!”

Na verdade eu até sobrevivo na água, mas não sou um exímio nadador, no mesmo instante Paulo Tellis diz: – “Eu vou… to indo! To de bermuda mesmo”.

O bichinho desesperado saiu tentando nadar em direção a uma das margens, onde tinha muita vegetação aquática, então resolvi entrar pela outra margem vindo de encontro pra evitar que o animal escapasse pelo mato. Foi aí que o bicho mergulhou e sumiu por duas vezes. Minutos depois o Paulo viu ele camuflado em um capim na água e realizou a captura.

Ufa! Enquanto eu e o Paulo estavamos entretidos na captura, o pessoal nos barrancos orientavam e fotografavam o resgate.  Trabalho em equipe com certeza. Sozinho seria impossível pegar o bicho que mesmo limitado com as pernas presas conseguia nadar, etc, etc, etc…

Já fora d’água o Paulo e seu irmão Carlos, diga-se de passagem ambos médicos, fizeram um diagnóstico da situação: Em resumo, a linha/cordão que prendia as pernas do bicho chegou a interromper a circulação em uma das pernas ocasionando a perda do movimento, queda das unhas e uma “artrite inflamatória” (me corrijam se eu estiver errado Drs).

A questão agora era o transporte para algum local para tratar do bicho debilitado. Então liguei para o Daniel da Coordenadoria de Meio-Ambiente. Sem sucesso, resolvi acionar a Defesa Cívil onde fui autorizado a transportar o bicho para casa e, obviamente, tratar do animal afim de possibilitar uma soltura nos próximos dias. Tal autorização se faz necessário! JAMAIS REMOVA, CAPTURE OU DESLOQUE-SE COM ESPÉCIES DA FAUNA E FLORA NATIVASsem a autorização das autoridades, pois pode configurar um crime ambiental.

Improvisamos um transporte no jipe do Paulo para o franguinho que sem forças parecia estar entregue. No retorno pra cidade encontramos o Daniel, da Coordenadoria de Meio Ambiente, que praticava seu esporte matinal e, aproveitava, levar sua cachorra Hana para passear. Mais do que depressa paramos e relatei o fato para ele, que por sua vez ficou feliz pela atitude e triste pelo fato em si. Alguns minutos de conversa, papo vai e vêm, levei um sopapo na orelha (brincadeira), e enquanto isso o P.T. ajudava o amigo do Daniel com o pneu da bicicleta furado. Então lá vamos nós pra cidade.

Já em casa, galera reunida e missão cumprida liguei para o Bred Pacheco que não participou do passeio por compromissos pessoais, relatei o fato e pedi para ele cuidar do frango, já que em outras oportunidades ele pode cuidar de um Tuiuiu no Pantanal e tem enorme “jeito” pra lidar com bichos. Prontamente fui atendido, mas antes,  passei com o bichinho na casa de uma veterinária para que ela desse uma olhada no estado do mesmo, ocasião em que o filho dela deu o nome ao frango de “Chico”, e o parecer clínico não foi diferente ao do Paulo e Carlos horas antes.

Bichinho encaminhado para a casa do Bred, fiquei lá por algumas horas, tratamos do bicho e enfim ele  começou a apresentar sinais de melhora, ficando em pé, bicando o nosso dedo pra se defender, alimentando-se,  bebendo água e etc.

Bom, o fato é que pelos próximos 4 ou 5 dias o bichinho vai estar hospedado em um hotel 5 estrelas, depois faremos a soltura. Veja abaixo algumas fotos que o Mário realizou durante o resgate, e no decorrer da semana o Bred com certeza vai me enviar fotos e vou postando aqui.

Dois pesos e uma única medida!

Inevitavelmente, alguém vai dizer: é só um franguinho ou um passarinho, e eu concordo plenamente, porém não importa se é um frango, uma minhoca, um cavalo ou pessoa. Seja qual for é uma vida. Como citei acima, jamais eu, ou melhor dizendo, nós, iriamos inteferir num fato natural, mas como a situação foi causada por pessoas desavisadas ou mesmo descompromissadas com o meio ambiente, não ficariamos indiferentes.

A satisfação minha, do Mário, do Luis Tiago, do Paulo e do Carlos era evidente, lembrando que o Carlos e o Paulo são médicos, acostumados a lidar com situações envolvendo pessoas, mas que não se negaram em ajudar uma vida que seria provavelmente encerrada em breve.

ANTES DE JOGAR UM CHICLETE, UMA LATA DE BEBIDA PELA JANELA DO CARRO, ABANDONAR UMA LINHA OU ANZOL DE PESCA, PENSE NOS PREJUÍZOS QUE ISSO VAI TRAZER DIRETAMENTE E INDIRETAMENTE PARA O MEIO AMBIENTE.

Abraços e até a próxima.
Tiago R.

Sair da versão mobile