Canon SX50 HS, a superzoom com jeitão de DSLR!

Cada vez mais as câmeras DSLR, aquelas que trocam a objetiva, tem ganhado espaço no mercado junto aos fotógrafos entusiastas, mas elas tem que enfrentar uma concorrente de respeito, as câmeras compactas superzoom ou avançadas.

As câmeras superzoom existem a muito tempo,  lançadas por volta de 2004. As primeiras superzoom de sucesso foram as da linha Canon PowerShot “S” com os modelos S1, S2 e S3 IS seguidas pela Kodak EasyShare DX7590 e Sony DSC H1, onde a resolução não passava dos 5 ou 6 megapixels e o superzoom era capaz de atingir 10 ou 12x.  Na época faziam muito sucesso, e assim como a história da arte deve ser analisada no seu tempo, os equipamentos fotográficos também. Hoje esses modelos Canon e Sony são ridiculamente limitados se comparados as câmeras superzoom atuais, mas para a época a qualidade de imagem e a poderosa objetiva com 10 ou 12x de variação era o máximo!

Consultamos o fotógrafo oficial do portal EF, para saber se ele chegou a utilizar este tipo de equipamento e a resposta foi SIM, na época uma Sony DSC H1, com seus poderosos 5.1 megapixel de resolução e distância focal equivalente à 36-432mm (zoom de 12x). Infelizmente o mesmo relatou que as fotos com a H1 se perderam no tempo devido a vulneberalidade do armazenamento digital, então vale muito a pena ler esta publicação sobre armazenamento de arquivos digitais.

Vamos deixar um pouquinho o passado de lado e falar da atualidade (…)

Canon PowerShot SX50 HS.

A primeira pergunta que muitos devem estar fazendo é: Por que escolhemos a Canon SX50 HS?
A resposta é simples, foi porque queríamos uma câmera com alguns recursos:

  • Objetiva poderosa com uma boa distância focal angular e tele, que fosse acima dos 1.000 mm;
  • Arquivo em formato RAW, pois dá a possibilidade de tratamento pós captura;
  • Queríamos uma câmera com sapata para flash, não que isso seja uma necessidade no segmento;
  • GPS integrado para referenciamento das fotografias;

Baseado nessas necessidades optamos pela Canon PowerShot SX50 HS, mesmo abrindo mão do GPS integrado em nome da capacidade de gravar arquivos em RAW e  pela sapata para flash externo.

Canon SX50 HS | Imagem da internet.

Visualmente a linha superzoom da Canon não mudou muito, mantem o mesmo jeitão de câmera grande, com cantos arrendondados e boa empunhadura. O que mudou ao longo dos anos foi a tecnologia embarcada, em especial o sensor e a objetiva que tem ganhado cada vez mais poder de captura de imagem. Veja a SX 50 HS:

.

Comparamos as especificações dda Canon Powershot SX50 HS com 2 modelos concorrentes:

Especificações:

  • Lançamento
  • Preço (EUA)
  • Sensor (Mpixel)
  • Tamanho arq.
  • Arquivo
  • Zoom
  • Distância focal
  • Abertura máxima
  • ISO
  • Veloc. de captura
  • Estabilização
  • Flash embutido
  • Sapata para flash
  • Burst (fps)
  • Vídeo
  • Tipo de bateria
  • Cartão
  • Peso
  • Extras
Canon SX50 HS

  • 2013
  • U$480
  • CMOS 12 m.pixel
  • 4000 x 3000
  • JPEG, RAW
  • 50x
  • 24-1200mm
  • (w-t) f3.5-f6.5
  • 80-6.400
  • 15″ – 1/2000
  • Sim, IS
  • sim, 5,5 metros
  • sapata inteligente
  • 2,3 ou 10 fps.
  • full-HD à 30 fps
  • BL-10 p/315 fotos
  • SD, SDHC, SDXC
  • 550 gramas.
  • LCD articulado com inversão.
Nikon CoolPixel P520

  • 2012
  • U$430
  • CMOS 18 m.pixel
  •  4896 x 3672
  • JPG
  • 41,7x (42x)
  • 24-1000mm
  • (w-t) 3.5-5.9
  • 100-3200
  • ? – 1/2000
  • sim, VR
  • sim, 8 metros
  • não
  • 7 (fps)
  • full-HD à 30 fps
  • ENEL5 p/200 fot.
  • SD, SDHC, SDXC
  • 555 gr.
  • GPS, LCD móvel
Fuji FinePix SL1000

  • 2013
  • U$399
  • CMOS 16 m.pixel
  • 4608 x 3456
  • JPG, RAW
  • 50x
  • 24-1200mm
  • (w-t) f2.9-6.5
  • 64-12.800
  • 30″ à 1/4000
  • Sim, óptico
  • sim, ?? metros
  • sim, Hotshoe
  • 10 (fps)
  • full-HD à 60 fps
  • Li-on/ 350 fotos
  • SD, SDHC, SDXC
  • ??? gr.
  • LCD móvel

.

Embora os modelos acima não sejam os últimos lançamentos do segmento, continuam com boas especificações e um bom custo X benefício. O modelo atual da Canon é a PowerShot SX60 HS e vem equipada com sensor de 16 megapixel e uma objetiva de 60x de zoom, cuja a distância focal equivale é 21-1.365mm além de outras modificações, tudo isso com valor um pouco mais alto por ser o atual lançamento da marca, por isso preferimos a penúltima versão.

Em campo a SX50 HS se comporta bem, mas vale lembrar que embora tenha um jeitão de câmera DSLR, continua sendo uma compacta apenas equipada com uma objetiva poderosa e controles manuais e alguns outros recursos que oferecem certa liberdade na hora de fotografar.

Pedimos ao nosso fotógrafo que fosse a campo testar a câmera, e o resultado esta logo abaixo. A primeira foto é logo de uma ave, onde foi utilizado a máxima distância focal da objetiva, ou seja, 1.200mm (50x)

1.200mm de zoom óptico + crop no Photoshop.

Outras fotografias em situações diversas:

ARQUITETURA em 1/1000, f4.5 e ISO200 COTIDIANO em 1/200, f3,5 e ISO200 NATUREZA em 1/1000, f8 e ISO800 MACRO em 1/6, f8 e ISO80 Macro em 1/6, F4.5 e ISO400

Situações de pouca luz.

Mas não bastava para o fotógrafo do portal EF testar a câmera em cenas do cotidiano, tinha que levar ao extremo e fotografar cenas noturnas, onde realmente a câmera precisa ter uma boa resposta, tanto na qualidade de imagem, como na capacidade de focar assuntos apenas com o auxilo de uma lanterna.

NOTURNA em 1/60, f5.6 e ISO400.

A qualidade da imagem ficou razoável em cena noturna como pode ser visto na foto acima, pois o ISO400 já mostrou sinais de ruído (granulação), uma limitação física dos sensores pequenos que equipam a maioria das câmeras compactas e superzoom.


Sim, tratamos as fotos!

Todas as as fotos acima foram capturadas em formato .CR2, ou seja, em formato RAW (crú) e foram convertidas para .JPG no Photoshop CC buscando o melhor resultado, assim como faríamos com qualquer foto de qualquer câmera (marca/modelo).

A grande vantagem deste segmento de câmera compacta é a sua objetiva poderosa, que permite fotografar paisagens amplas até detalhes aproximando objetos distantes. Na sequência abaixo utilizamos toda a capacidade do zoom óptico, ou seja, da aproximação realizada apenas pelas objetiva. Na verdade o nosso fotógrafo desativa sempre que possível o zoom digital das câmeras compactas, já que o zoom digital nada mais é do que um corte na imagem com o fim de ressaltar ou aproximar um detalhe, gerando degradação na imagem. Confira:

IMG_0274      

O sistema de autofoco responde bem, mas com uma queda significativa do desempenho quando a cena tem pouca luz, mesmo com o auxílio da luz de AF que ajuda a câmera a focar quando a luminosidade natural não é suficiente, o autofoco “caça” o assunto antes de focar corretamente, e em algumas situações, não consegue acertar o foco com precisão.

Pontos positivos:

Portabilidade ► pode aparentar ser grande uma Canon SX50 HS, mas se levarmos em conta a sua poderosa objetiva que é capaz de atingir 1.200mm de distância focal ela se torna muito compacta e versátil.

Controles manuais modo automático é legal e funciona bem em momentos de descontração ou lazer, mas ter total controle sobre o uso do flash, ISO, fotometria e do ponto de foco é algo que faz toda a diferença na hora de fotografar.

Sapata para flash ► pode soar desnecessário, mas ter a possibilidade de conectar um flash para utilizar em cenas noturnas faz muita diferença. O flash pop-up da câmera não permite rebater a luz, tornando o seu uso bem mais limitado. Já uma unidade de flash dedicada permite rebater a luz, realizar compensações rapidamente além de prover muito mais potência.

Arquivo RAW ► pode parecer estranho fotografar em RAW (crú) em uma câmera compacta superzoom, pois sabemos que o RAW dessas câmeras é muito mais limitado que o RAW das DSLR, mas mesmo assim o arquivo crú permite extrair mais qualidade das fotos do que o Jpeg.

Pontos negativos:

Controle de abertura/velocidade ►o controle da abertura e velocidade de captura é realizada no mesmo disco e alternada através do botão EV +/-, o que torna o processo um pouco lento.

Controle do ponto de foco ► o deslocamento do ponto de foco é um pouco lento e confuso, precisa ser acionado através de um botão.

Sincronização de flash  ► o flash sincroniza a míseros 1/60! Poderia ter uma sincronização em uma velocidade maior, especialmente ao usar uma unidade de flash dedicada.

Reciclagem do flash ► como toda câmera compacta, o flash leva alguns segundos para recarregar após um disparo.

Granulação em ISO alto ► em ISO “alto” o ruído fica bem aparente, em especial nas fotos noturnas. ISO400 já é um problema para algumas situações.

Duração da bateria ► a durabilidade da bateria deixa um pouco a desejar, especialmente se utilizar constantemente o modo AF-servo (focagem contínua) e realizar constantes variações no zoom.

Outras opções no mercado…

No mercado existem diversas opções, inclusive modelos mais atuais como a Canon PowerShot SX60 HS, Nikon CoolPix P600, Panasonic Lumix FZ200 e tantas outras. O que vale mesmo é analisar o melhor custo x beneficio para o seu tipo de uso, e uma vez comprada uma câmera, explorar o máximo os seus recursos.

Abraços.
Equipe EF.

 

 

8 Comments:

  1. Foi muito importante este texto sobre a Canon SX50..

  2. jefferson de assis pereira

    ela tem sensor de movimento

  3. album saberia me dizer quanto tempo ela aguenta gravar sem parar?

  4. Lorrayne Lindsay Cardoso Portela

    Tenho uma câmera dessa e sempre quis saber onde ativa o autofoco. Li e reli o manual l, procurei vídeos no YouTube e não achei. Fotógrafo crianças e muitas vezes perco uma foto por não está focada.

    • Bom dia Lorryane.

      Se você olhar a sua câmera na parte de traz, próximo ao LCD do lado direito, tem um disco de controle. Observe a opção da FLOR / MF. Aperte esse botão até que apareça no LCD a opção AF ou um ícone de montanha. A única opção que a câmera funciona em foco manual, é se aparecer as siglas MF.

      Destacamos ainda que por padrão de fábrica a câmera vem com o sistema de autofoco ligado. Outra opção é você utilizar a câmera no modo automático, girando o disco superior até o quadro verde.

      Esperamos ter ajudado.
      Equipe EF.

  5. Escolhi a SX50hs pela possibilidade de gravar fotos no formato RAW. Mas os controles são confusos e é impossível ter controle simultâneo sobre diafragma, obturador, foco, ISO, nem a paisagem fica parada esperando o tempo necessário para todos os ajustes no modo manual. De certa forma estas superzoom não entregam o que prometem.

    Porém, vale a pena experimentar. Na minha modesta opinião, para chegar próximo da excelência de uma DSLR, essa SX50hs é a melhor entre suas iguais.

    • Olá Adalberto.

      A sua opnião é muito importante e certamente vai colaborar e muito com outros visitante que desejam obter mais informações sobre câmeras superzoom de modo geral.

      O que é importante destacarmos é que esse tipo de câmera tem evoluído muito nos últimos anos, tanto na questão qualidade de imagem quanto controles para operação. O modelo SX60 HS já melhorou bem, disponibilizando um disco de controle próximo ao botão disparador para ajustar velocidade de captura e abertura do diafragma, como nas DSLR de entrada da marca.

      Obrigado pela visita e pelo comentário colaborativo.
      Equipe EF.

Deixe um comentário, ficaremos felizes em saber o que achou!