Primeiras impressões Nikon D600, a full-frame de baixo custo!

A nova Nikon D600 chegou no mercado causando um grande impacto, primeiro pelo seu preço em torno de U$2.000 nos EUA que é muito abaixo do que qualquer outro lançamento full-frame até hoje e segundo pelo seu sensor com 24 megapixel que à coloca em uma zona confortável, nem pouco como a excelente D700 e seus 12 megapixel nem demais como a D800/E e seus incríveis 36 megapixels.

Como usuário da marca não resisti, decidi comprar uma Nikon D600 para realizar alguns testes e ver qual é o real poder dessa “pequena grande” câmera, mesmo conhecendo os principais sites de reviews, resolvi  fazer um teste prático pois nada melhor que o uso pessoal para salientar alguns pontos positivos ou negativos de um novo equipamento, uma vez que os testes de sites especializados são realizados na maioria dos casos em laboratório.

Não vou descrever aqui item por item, vou ser bem objetivo até por que existem dezenas de sites que só fazem análise das especificações do equipamento, então vou compartilhar um pouco da minha experiência de uso no dia a dia.

• Nikon D600 (FX)
Formato FX / Full-frame (35mm)
24 megapixel (6016 x 4016 pixel)
Raw 14 bit c/ compressão
39 pontos de foco / 9 cruzados
Exposição de 30″ ~ 1/4000
Matrix, central e spot
Sistema de medição TTL RGB de 2016 pixel (pontos)
ISO 100 ~ 6400 (50 ~ 25.600)
Burst de 5,5 fps
Flash pop-up TTL
Sincronismo de flash de 1/200 (possui FP)
Vídeo full-hd 1920×1080 (com compressão) à 30 fps

→ Especificações técnicas completas da Nikon  D600

Ansiedade era tanta que nem esperei chegar em casa pra tirar a câmera da caixa, na volta optei em vir no banco do carona só pra poder fazer os primeiros clicks e testar o autofoco com o carro em movimento liguei a novissíma D600 com uma objetiva 24-70 e comecei a fazer alguns disparos de teste, o que deixou claro a velocidade do auto foco, além de preciso e muito rápido em detectar as fases (uau!..), continuei com os testes mas pensando na fotometria e senti falta da chave do modo de fotometria que existe na D300/700, porém assim como na D7000 a fotometria da D600 é facilmente alternada por um botão na parte superior do corpo, não é o melhor recurso mas entendo que esses detalhes ficaram para agregar mais agilidade na D800 que é a irmã maior.

Fotometria acertada comecei a alternar o ISO,  de 100 até 3200, mais tarde no PC pude verificar e notei que até o ISO1600 a imagem é ótimo com pouco ruído e pouca degradação das cores, então era vez  de verificar os menus, muito completo com todos os recursos das irmãs maiores, me pareceu bem efecifiente, não senti falta de nada como algumas funções que costumam não existir em câmeras mais simples: atraso de exposição, ajuste do tempo de resposta do AF, ajuste fino de AF e etc…

No mesmo dia durante a noite fui para um evento religioso e continuei fazendo mais alguns testes, inclusive filmando. Em modo de vídeo notei que a câmera suporte bem até o ISO3200, acima disso começa a apresentar ruído e perda na tonalidade das cores.

Todo equipamento tem um curva de aprendizado que leva algum tempo até ser totalmente assimilada, continuando no evento religioso já no dia seguinte, continuei fazendo algumas fotos e as mesmas foram melhorando, era vez de trocar de objetiva e usar a AFS 70-200 N VR II e ver o poder dos 24 megapixels da nova full-frame da Nikon.

Os 24 megapixels permitem crops (cortes) maiores  nas fotos, essa experiência eu já tinha vivenciado com a minha antiga Canon 5D Mark II em relação as minhas  Nikons D700/D3 que digase de passagem geram imagens impressionantes mas sempre que existe a necessidade de um crop (corte) um pouco maior esbarramos nos 12 megapixels, limitando fotos com crop à pequenas ampliações.

A minha experiência com a D600 até eu escrever essas “impressões” se deu durante dois dias apenas, mas posso dizer que foi positiva, falta colocar a nova D600 para fotografar outras situações como esportes, natureza e social, mas pelas primeiras impressões creio que não vai ser problema pra essa pequena, mas poderosa câmera, enfrentar outras atividades.

• PONTOS POSITIVOS
– sensor FX de 24 megapixel
– qualidade de imagem
X tamanho da imagem
– velocidade e precisão do auto-foco
– peso do corpo (leve)
– visor óptico com cobertura 100%
– vídeo full-HD
– duplo slot para cartão

– preço

• PONTOS NEGATIVOS
– uso de cartões SD
– velocidade de exposição limitada a 1/4000
– velocidade de sincronismo de flash limitada a 1/200
– falta de arquivo RAW sem compressão
– pegada prejudicada (p/ pessoas com mão grande)
– falta do controle de abertura nos vídeos

Abaixo alguns crops 100% (cortes) de duas fotografias com a Nikon D600 usando as objetivas 24-70mm N e 70-200 VR N:

Na medida que eu for utilizando e fotografando com a D600 vou postando as fotografias aqui.

D600 não foi apresentada a ADOBE!

Até o momento, 18 de outubro de 2012, nem LR4 e nem o PS/CS5 são capazes de abrir os arquivos NEF  da D600, isso acaba impedindo a finalização das imagens em dois dos melhores programas de tratamento. Por hora  é aguardar a atualização e ir usando o Nikon ViewNX2 para converter os arquivos NEF para JPG, sem poder contar com todas as possibilidades de tratamento do arquivo em RAW.

Em breve tanto o LR quanto o PS devem receber uma atualização para trabalhar com o arquivo RAW da D600. Estamos na expectativa.

Esperamos ter ajudado e até a próxima.
Equipe EF.

10 Comments:

  1. Boa noite,
    O LR e o CS6 ainda não tem suporte para o raw da D600? Estou com tudo atualizado e não abre, tem alguma dica?

    Obrigado.

  2. Obrigado pelo post, muito bom.

  3. E com relação a ruido ?!?
    Com isos alto ?
    E com esse problema que o senssor suja com óleo é pó ?!?
    O que tem a comentar ?
    Abraço

    • Boa tarde Martin.

      Com relação ao ruído a D600 tem mais ruído que outras câmeras como D3/s/D700 por exemplo, mesmo por que tem o dobro de resolução e por isso a densidade dos pixels é maior gerando uma deficiência na captura da luz, por outro lado se reduzir a imagem de 24mp para 12mp a relação de qualidade será muito próxima.

      O problema da sujeira que se fala muito, e que a Nikon assumiu a poucos dias publicamente, pode ser limpo facilmente, particularmente não tive grandes problemas com as minhas duas D600, ambas com sujeira bem imperceptível.

      Abraços, equipe EF.

  4. E quanto ao problema da sujeira no sensor da D600 ?

  5. Excelentes comentários/impressões.
    Ando pensando em trocar a D7000 pela D600 e ficar com tudo full frame.

  6. Muito bom Tiago.
    Como sempre, objetivo e pratico.
    Ptellis

Deixe um comentário, ficaremos felizes em saber o que achou!