Tanquã exibe jóias da fauna do rio Piracicaba.

Olá a todos que acompanham o portal EF.

Nos últimos meses, o nosso fotógrafo Tiago D. tem visitado constantemente o rio Piracicaba, na região do Tanquã, localizada entre as cidades de Piracicaba e Anhembi. O local passa por um momento delicado, pois esta prestes “a sumir do mapa” (veja aqui), colocando fim em uma vila de pescadores e também a riquíssima fauna que habita o local, em especial as espécies de aves aquáticas como a raríssima sanã-amarela que só existe registros no alagadiço do Tanquã dentro do estado de São Paulo, entre outras espécies de pouca ocorrência como socói-amarelo, tricolino, gavião-do-banhado entre outras.

No dia 03 de maio de 2014 o fotógrafo do portal EF voltou ao Tanquã para guiar dois fotógrafos interessados em conhecer a fauna local, um deles, Edgar Delgado (vejam as fotos) veio do nordeste para conhecer o local e a sua fauna exuberante, e o outro, Dinan Oliveira (vejam as fotos) de Iracemápolis, fotógrafo já atuante na observação de aves. Guiados pelo fotógrafo do EF a expedição fotográfica tinha objetivos definidos, fotografar espécies “mais difíceis” do local: sanã-amarela, socói-amarelo, saracura-do-banhado, gavião-do-banhado, águia-pescadora (visitante migratória), sanã-parda e o pequeno tricolino.

Da “lista dos desejos”, só faltaram as espécies sanã-amarela e socói-amarelo.

Abaixo algumas fotografias do fotógrafo oficial do portal EF durante a ida ao Tanquã.
(clique nas fotos e aguarde o carregamento em alta-resolução)

Logo na saída de barco, uma bela imagem, um gavião-caboclo se alimentando com a carcaça de um sapo nas garras. Pensamos que era uma cobra nas garras da ave, mas na edição das fotografias pude confirmar ser um sapo já destrinchado.

Gaviao-caboclo - DSC6009

A saracura-do-banhado desfilando. Apareceu um casal cantarolando. Espécie pouco comum na região.

Sarucara-do-Banhado - DSC6341

A sanã-parda, embora comum, raramente sai do capim. Nessa foto elas, meia dúzia, ficaram procurando o player.

Sana-Parda - DSC6321

Durante as fotografias da sanã-parda, o gavião-do-banhado peneirou sobre o barco e deu alguns rasantes no capim e no aguapé fim de capturar algumas presas.

Gaviao-do-banhado - DSC6571

O pequeno tricolino, vive no meio a vegetação aquática.  Raro, de pouca ocorrência no estado de São Paulo a espécie tem atraído muitos fotógrafos e observadores de aves ao local. Com um pouco de sorte, insistência no local certo, é possível observar a espécie.

Tricolino - DSC6205

A marreca-cricri chama atenção pela sua plumagem diferenciada. Espécie frequente no Tanquã.

Marreca-CriCri - DSC6616

Nem só de espécies de difícil observação é feito um passeio no Tanquã. No local ocorrem dezenas de espécies bem comuns, mas que podem render ótimas fotografias e momentos de observação, como exemplo a garça-moura abaixo.

Garça-Moura - DSC6661

Certamente, não é preciso ser um grande observador de aves ou fotógrafo profissional, especializado em avifauna para vislumbrar a rica fauna do local, basta ter um pouco de atenção e circular entre o canal do rio, suas lagoas e vazantes para observar a quantidade de espécies.

Confira a localização no mapa do local de ocorrência das espécies.

Vale lembrar que algumas espécies são migratórias, e a sua ocorrência depende da estação do ano e do nível de água do rio e suas lagoas. A lista completa das espécies avistadas ou fotografadas segue abaixo:

  • Andorinha-serradora
  • Andorinha-do-rio
  • Bem-te-vi
  • Biguá
  • Biguatinga
  • Cabeça-seca
  • Caminheiro-zumbidor
  • Caracará
  • Carão
  • Coró-coró
  • Curutié
  • Frango-da-água-azul
  • Frango-da-água-comum
  • Garça-branca-grande
  • Garça-branca-pequena
  • Garça-moura
  • Garibaldi
  • Gavião-caboclo
  • Gavião-caramujeiro
  • Gavião-carijó
  • Gavião-do-banhado
  • Irerê
  • Jaçana
  • Japacanim
  • Lavadeira-mascarada
  • Marreca-cabocla
  • Marreca-caneleira
  • Marreca-cricri
  • Marrecão
  • Martim-pescador
  • Pardal
  • Pipira-vermelha
  • Ratão-do-banhado
  • Sanã-parda
  • Saracura-do-banhado
  • Savacu
  • Socó-boi
  • Socozinho
  • Suiriri
  • Tricolino
  • Tuiuiú
  • Urubu-comum
  • Urubu-de-cabeça-vermelha

No total, mais de 40 espécies observadas ou fotografadas em aproximadamente 4 horas de barco pelas lagoas e vazantes do Tanquã.

Para quem quer conhecer o Tanquã, existem duas opções basicamente, uma delas é ir até o local e contratar um “barqueiro” por conta própria e fazer um passeio para avistar algumas aves aquáticas como biguás e garças, ou ir com um fotógrafo profissional e conseguir realizar boas fotografias, de espécies não tão comuns, que vão mostrar toda a riqueza do lugar.

Conheça o Tanquã!

O fotógrafo do portal EcoFoto realiza expedições individuais ou em grupo para o TANQUÃ. Se você tem interesse em conhecer o local, fotografar a vida selvagem ou simplesmente observar a fauna (birdwatching), entre em contato com a nossa equipe → clicando aqui!

Abraços e até a próxima.
Equipe EF.

 

Um Comentário:

  1. Tenho interesse em visitar para conhecer fotografar no Tanquã. Gostaria de ir com alguém que já conhece o local. Quais os custos?

Deixe um comentário, ficaremos felizes em saber o que achou!