Passarinhar em Iracemápolis: 115 espécies fotografadas durante projeto autoral em 2010

Olá pessoal.

Vida de fotógrafo não é fácil, principalmente no final de ano quando os trabalhos aumentam. Porém, ano novo (2011), post novo!

O ano de 2010 foi tido como o “ano do meio ambiente” e dentro deste contexto resolvi desenvolver um projeto autoral fotografando a avifauna local da cidade onde eu moro durante um ano, projeto  que resolvi chamar de “PASSARINHAR EM IRACEMÁPOLIS” e foi realizado durante os dias 1/jan a 24/dez de 2010.

A natureza sempre atraiu minha atenção, embora eu não seja nenhum Expert na área, sempre gostei de animais. Essa ideia de realizar um levantamento fotográfico da natureza, em especial a fauna da minha cidade, teve inicio em meados de 2009, quando passarinhando – termo usado por fotógrafos quando em campo para fotografar avifauna – me deparei com algumas espécies de aves de beleza exuberante e que dificilmente se vê por aqui, pertinho de casa, o que despertou a curiosidade em saber o que mais eu poderia encontrar na região onde moro, no interior de São Paulo, que atualmente é cercada por uma ampla monocultura agrícola.

Outro motivo que me fez desenvolver este projeto foi a  necessidade constante de chamar a atenção de todos (sociedade, pesquisadores, poder público, empresas) para as questões ambientais. Então pensei em unir o útil (necessidade de preservação) ao agradável (meu gosto pela fotografia de natureza)!

Anú-Branco

O começo do projeto foi em janeiro de 2010, e diga-se de passagem, penoso, muitas caminhadas e poucas fotos o que me fez lembra diversas vezes do velho provérbio, que diz: “todo começo é díficil” !

Por várias vezes pensei em desistir, abandonar ou deixar para um outro momento essa ideia de fotografar as aves, os mamíferos, os répteis e afins. Esse pensamento me assombrava em muitas das minhas saídas a campo, embora o objetivo fosse mostrar que ainda existe muita vida selvagem e que a natureza necessita da nossa ajuda  e respeito. Não foi fácil, confesso!

O apoio e incentivo logo começou a vir, na maioria das vezes vinha dos amigos, inclusive muitos fotógrafos que também gostam de fotos de natureza, e que vez ou outra estavam por aqui fotografando. Posso citar alguns nome, não todos pois não vou lembrar: Bred P., Fernando S., Reinaldo R., Jesus P., Mário B., Marcelo C., Ricardo A. e tantos outros. O incentivo funcionava, mas a verdadeira fome, força, vontade de continuar em frente vinha sempre que conseguia uma ótima fotografia de alguma espécie, que as vezes parecia colaborar com o meu projeto autoral , me incentivando para que eu não desistisse.

Talvez o ápice do projeto tenha sido no mês de julho, numa tarde de sexta-feira, quando fui agraciado por uma das cenas mais inesquecíveis da minha vida, o encontro com um LOBO-GUARÁ, foi simplesmente emocionante (o encontro com o lobo-guará) e certamente será inesquecível, ainda me lembro dos detalhes como se fosse hoje. Tal encontro se deu por acaso, de forma despretensiosa mas durou o tempo suficiente pra ficar na minha memória e se tornar o melhor momento deste projeto, foi realmente sensacional ver um animal tão belo vivendo a 10 minutos da minha casa, que coisa não?

Lobo-Guará

O  projeto ganhou força quando conheci o Dinan Oliveria, morador local que compartilhava do mesmo interesse que eu pela avifauna encontradas no entorno da cidade, na  época, o Dinan, realizava gravações dos cantos das aves e depois de algum tempo o Dinan passou a fotografar comigo. Foi aí  que passei a passarinhar sempre que possível, as vezes na companhia do Dinan as vezes na companhia de outro amigo e o volume de espécies registradas aumentou significativamente, sem falar que quando as saídas a campo não rendiam fotos, rendiam boas risadas.

Ao longo do ano de 2010 muitas pessoas apoiaram o projeto, e outras foram um pouco além viabilizando o acesso a diversos locais para execução das fotos, uma dessas pessoas é o responsável da Coordenadoria de Meio Ambiente, Daniel Oliveira, que sempre esteve disponível pra ajudar no que fosse preciso.

Mas o que seria desse projeto se não houvesse divulgação? Talvez nada além de um projeto pessoal e seria muito egoísmo não dividir a riqueza fotografada com outras pessoas, e foi durante um trabalho que conheci a jornalista Talita Requena, a quem tive a oportunidade de falar sobre o projeto e ela prontamente se interessou em gravar uma matéria para o programa Cultura & Meio Ambiente (veja a matéria –> www.tvclaret.com.br/meioambiente) da tv Claret/Cultura, agendamos e gravamos!

Certa manhã, em uma das saídas a campo juntamente com o Dinan, conheci a pesquisadora venezuelana Inés V. Cardozzo que realizou um levantamento sobre a flora  situada no entorno do Tanque Municipal para o seu trabalho de mestrado da Universidade de Madri – Espanha. Logo trocamos algumas informações então ela solicitou e utilizou no seu trabalho algumas das minhas fotos em seu trabalho.

Beija-Flor-Tesoura

Muitos convites para  passarinhar, até que uma pessoa que admiro muito pela coragem e paixão que tem pelo meio ambiente, o veterinário e proprietário da Reserva Guainumbi, João Marcelo da Costa, morador de Santa B. do Oeste, município vizinho pode comparecer em uma saída a campo. Sempre trocávamos mensagens sobre a avifauna regional e por muitas vezes ele manifestou interesse em observar as espécies registradas em Iracemápolis.

Hoje, vendo o resultado fotográfico obtido tenho certeza que tudo valeu muito à pena, e faria tudo de novo, no começo era apenas um projeto autoral, hoje tenho a certeza de ser uma ferramenta para preservação, um banco de dados com informações documentadas sobre a ocorrência de espécies de aves e animais na região de Iracemápolis, inclusive com muitas fotos georreferenciadas (GPS tag).

BALANÇO: mais de 110 espécies fotografadas e 140 avistadas, levantar às 5h 30 nos finais de semana foi rotina, mais de 90km percorridos nas caminhadas no entorno das matas e trilhas,  horas e horas à espera para  fotografar uma única espécie e mais de  3.500 fotos no total!  Tudo isso durante um ano.

Fotografei alguns mamíferos como: ratões-do-banhado, lobo-guará, capivaras, esquilos, lontra e avistei (sem fotos): raposas, lebres, gambás e veados. Das aves, tive a enorme surpresa de fotografar por aqui: águia-pescadora que migra dos EUA no inverno para o sul, soldadinho, canário-do-campo, carretão, colhereiro, maçaricos, pinto-da-água, pitiguari e muitos outros que jamais imaginava ver por aqui. O lado triste foi ter encontrado algumas espécies mortas, como por exemplo o ameaçado cachorro-vinagre, porco-espinho, quatis e capivaras, alguns com a morte causada por atropelamento e outros por ferimento à bala.

Águia-Pescadora

A primeira parte deste projeto autoral está concluída, mas ainda falta muita coisa a ser feita e mostrada.  Uma exposição com as fotos impressas em local de grande circulação para dar maior visibilidade às questões ambientais e mostrar para a sociedade que a natureza ainda persiste e nos permite contemplar a sua beleza, basta nós darmos uma ajudinha e tudo acontece.  Outro ponto importante é  a publicação de um foto livro para documentar todo o trabalho,  algo a ser considerado do ponto de vista didático, histórico e ambiental.

Não vou me prolongar, tenho muitas histórias pra compartilhar mas fica pra um outro post aqui no portal Ecofoto.

GALERIA DE FOTOS:

(em breve)

Ou se preferir, abra a galeria de fotos em uma nova janela. Créditos das fotos Tiago Degaspari.

As relações completas das espécies fotografadas estão logo abaixo, divididas em duas partes, sendo a primeira das aves fotografadas, na sequência os mamíferos e répteis.

—————————————————————————————————–

• Lista completa de espécies de aves fotografadas:

Águia-Pescadora Pandion haliaetus
Alegrinho Serpophaga subcristata
Alma-de-Gato Piaya cayana
Andorinha-de-Sobre-Branco Tachycinetta leucorrhoa
Andorinha-do-Campo Phaeoprogne tapera
Andorinha-do-Rio Tachycineta albiventer
Andorinha-Grande Progne chalybea
Anu-branco Guira guira
Anu-preto Crotophaga ani
Arredio-do-Rio Cranioleuca vulpina
Bacurau Nyctidromus albicollis
Besourinho-de-Bico-Vermelho) Chlorostilbon lucidus
Beija-Flor-Tesoura Eupetomena macroura
Bem-te-vi Pitangus sulphuratus
Bentevizinho-de-Asa-Ferrugínea Myiozetetes cayanensis
Bico-de-Lacre Estrilda astrild
Bico-de-Veludo Schistochlamys ruficapillus
Biguá Phalacrocorax brasilianus
Cabeça-Seca Mycteria americana
Cabeçudo Leptopogon amaurocephalus
Canário-do-Campo Emberizoides herbicola
Canário-do-Mato Basileuterus flaveolus
Carão Aramus guarauna
Carretão Agelasticus cyanopus
Choca-Barrada Thamnophilus doliatus
Choca-da-Mata Thamnophilus caerulescens
Choca-de-Chapéu-Vermelho Thamnophilus ruficapillus
Chopim-do-Brejo Pseudoleistes guirahuro
Choró-boi Taraba major
Coleirinho / Papa-capim Sporophila caerulescens
Colhereiro Platalea ajaja
Coruja-Buraqueira Athene cunicularia
Curutié Certhiaxis cinnamomeus
Encontro Icterus cayanensis
Falcão-de-Coleira Falco femoralis
Ferreirinho-Relógio Todirostrum cinereum
Figuinha-de-rabo-castanho Conirostrum speciosum
Fim-Fim Euphonia chlorotica
Frango D ‘Água Azul Porphyrio martinica
Frango D’ Água Comum Gallinula chloropus
Freirinha Arundinicola leucocephala
Garça-Branca-Grande Ardea alba
Garça-Moura Ardea cocoi
Garibaldi Chrysomus ruficapillus
Gaturamo-Verdadeiro Euphonia violacea
Gavião-Caracará Caracara plancus
Gavião-Caramujeiro Rostrhamus sociabilis
Gavião-Carijó Rupornis magnirostris
Gavião-Carrapateiro Milvago chimachima
Gavião-de-Rabo-Branco Buteo albicaudatus
Gavião-Peneira Elanus leucurus
Gralha-do-Campo Cyanocorax cristatellus
Irerê Dendrocygna viduata
Jaçanã / Cafezinho Jacana jacana
Japacanim Donacobius atricapilla
João-de-Barro Furnarius rufus
João-Teneném Synallaxis spixi
Lavadeira-Mascarada Fluvicola nengeta
Maçarico-de-perna-Amarela Tringa flavipes
Maçarico-Sobre-Branco Calidris fuscicollis
Maria-Cavaleira Myiarchus ferox
Maria-Faceira Syrigma sibilatrix
Marreca-Cabocla ou Asa-Branca Dendrocygna autumnalis
Martim-Pescador Chloroceryle amazona
Mergulhão-Caçador Podilymbus podiceps
Mergulhão-Pequeno Tachybaptus dominicus
Noivinha-Branca Xolmis velatus
Pardal Passer domesticus
Pato-Selvagem Cairina moschata
Periquitão-Maracanã Aratinga leucophthalma
Pernilongo-de-Costas-Brancas Himantopus melanurus
Pé-Vermelho Amazonetta brasiliensis
Pia-Cobra Geothlypis aequinoctialis
Pica-Pau-Anão-Barrado Picumnus cirratus
Pica-Pau-do-Campo Colaptes campestris
Pica-Pau-Verde-Barrado Colaptes melanochloros
Picapauzinho-Anão Veniliornis passerinus
Pinto-d’Água ou Sanã-Parda Laterallus melanophaius
Pipira-Vermelha Ramphocelus carbo
Pombão Patagioenas picazuro
Primavera Xolmis cinereus
Pula-Pula-de-Barriga-Branca Basileuterus hypoleucus
Quero-Quero Vanellus chilensis
Quiriquiri Falco sparverius
Risadinha Camptostoma obsoletum
Sábia-Barranco Turdus leucomelas
Sábia-do-Campo Mimus saturninus
Saí-Andorinha Tersina viridis
Saí-Canário Thlypopsis sordida
Saíra-de-Chapéu-Preto Nemosia pileata
Saí-Turquesa ou Saí-Azul Dacnis cayana
Sanhaçu-Cinzento Thraupis sayaca
Saracura-do-banhado Pardirallus sanguinolentus (corrigido)
Savacu (imaturo) Nycticorax nycticorax
Seriema Cariama cristata
Socozinho Butorides striata
Soldadinho / Tangara-Dançarino Antilophia galeata
Sovi Ictinia plumbea
Suiriri Tyrannus melancholicus
Tesoura-do-Brejo Gubernetes yetapa
Tesourinha Tyrannus savana
Tico-Tico Zonotrichia capensis
Tico-Tico-do-Campo Ammodramus humeralis
Tico-Tico-Rei Coryphospingus cucullatus
Tipio Sicalis luteola
Tiziu Volatinia jacarina
Urubu-cabeça-preta Coragyps atratus
Urubu-de-cabeça-vermelha Cathartes aura

Dezenas de outras aves foram avistadas, porém decidi manter na lista apenas as espécies com registros fotográficos.

• Lista completa de espécies de mamíferos e répteis fotografados:

Capivara Hydrochoerus hydrochaeris
Cobra-Cipó-Marrom Chironius bicarinatus
Esquilo ou Serelepe Sciurus ingrami
Lobo-Guará Chrysocyon brachyurus
Lontra Lontra longicaudis
Quati Nasua nasua
Ratão-do-Banhado Myocastor coypus

Muito embora o resultado tenha sido excelente na minha avaliação, faltaram algumas fotos de espécies avistadas,  além de algumas saídas noturnas para fotografar espécies ativas ao cair do sol como as corujas e mochos, por exemplo.  Essas fotos ficam pra uma segunda etapa deste projeto autoral que não acabou, e sempre que possível estarei fotografando na região para continuar alimentado esse grande banco de imagens.

“Preservar é preciso, fotografar é fundamental…
Só é possível preservar aquilo que se conhece!”

Faça você também o seu papel sócio-ambiental,  colabore com a natureza.

Abraços a todos.

Equipe EF

 

4 Comments:

  1. olá Tiago, meu nome é Fabricio ,estudo na escola ‘Benedicto Carlos Freire’,gostei muito das fotos muito legais você é um ótimo fotógráfo

  2. Parabens, pelo blog e pela materia.
    Fiz uma materia sobre o Turismo de observação de passaros no Guarujá, na revista UsAbout da Florida,veja baixo.
    Espero que gostem.
    Abraços

    http://issuu.com/hotspotorlando/docs/aboutus__4

  3. Gostei muito, Tiago. estou tomando gosto por isso, também. Já fotografei e filmei vários passaros em meu quintal.

    Sugestão: Aliar a relação de espécies com a ordem das fotos para facilitar a identificação.

    Dica: Na rua einstens com a rua fleming no Jardim santana, tem um pé de ipê florido
    onde aparecem várias espécies; agapornis, caga-cebo, beija-flores (inclusive um minusculo, do tamanho de uma abelha) e um gaviãozinho tentendo pegar todos eles.

    Parabéns!

  4. Elisa F. Delariva

    Tiago,
    Seu trabalho é simplesmente fantástico.
    Parabéns!

Deixe um comentário, ficaremos felizes em saber o que achou!