Birdwatching: guiando observador de aves argentino.

Observação de aves cresce a cada dia no Brasil, e para atender a demanda o portal EF oferece serviço especializado de guia para prática de observação e fotografia de aves em algumas regiões do Brasil, consulte aqui os nossos serviços.

Através da indicação do fotógrafo e observador de aves Paulo Guerra da cidade de Jaú-SP, o fotógrafo do portal ECOFOTO recebeu e guiou o argentino observador de aves Raul S. que estava de passagem pela região de Piracicaba, no interior de São Paulo.

Com extenso currículo na observação de aves pela América do Sul, Raul tinha algumas espécies como prioridade: caboclinhos, soldadinho, corujas entre outras que puderam ser observadas e fotografadas com a visita a diversos pontos de observação na região, começando pelo Tanquã em Piracicaba onde foi possível observar, ouvir e fotografar alguns caboclinhos, como por exemplo o S. pileata e S. corallis e inúmeras outras aves aquáticas que ocorrem no local, inclusive lifer’s como arapaçu-do-cerrado (Lepidocolaptes angustirostris).

Arapaçu-do-Cerrado (Lepidocolaptes angustirostris). Cred.: Tiago D. portal EF. (DSC_6797)

Uma foto do guia durante a expedição.

Após uma manhã toda navegando e fotografando pelo rio Piracicaba na região do Tanquã, partimos para o almoço e segunda parte da observação em Americana-SP para ver e fotografar o barbudo-rajado (Malacoptila striata). Além do barbudo outras espécies apareceram, gralha-do-campo, choca-da-mata, saí-canário, chorão, caboclinho, canário-do-campo entre outras.

Barbudo-rajado (Malacoptila striata). Créditos Raul S. - IMG_1010

Barbudo-rajado (Malacoptila striata). Créditos Raul S. – IMG_1010

No segundo dia partimos para região de Rio Claro para tentar ver a jacurutu (Bubo virginianus), a maior coruja das Américas, mas o casal não estava na beira da estrada e o guia do portal EF preferiu não entrar na mata dentro da propriedade particular onde ela fica sem ter a expressa autorização do proprietário, o que não tem sido respeitado por diversas pessoas (fotógrafos e observadores) que frequentam o local, invadindo a propriedade para conseguir um registro a qualquer custo. Mesmo assim a viagem foi interessante, Raul pode fazer mais dois lifers, o joão-porca (Lochmias nematura) e também a Ariramba-de-cauda-ruiva (Galbula ruficalda). Continuamos até a divisa com Araras para tentar ouvir e ver o tapaculo-pintado (Psilorhamphus guttatus) e a choquinha-de-dorso-vermelho (Drymophila ochropyga), ambas espécies difíceis de fotografar com ocorrência extremamente pontual.  A choquinha não apareceu, mas o tapaculo-pintado deu o seu show se exibindo para observação e fotos!

Tapaculo-pintado (Psilorhamphus guttatus). Créditos Raul S. - IMG_1178

Tapaculo-pintado (Psilorhamphus guttatus). Créditos Raul S. – IMG_1178

Dentro da mata as aves vocalizam o tempo todo: choró-boi, tico-tico-de-bico-amarelo, choca-da-mata, chupa-dente, pichororé e inúmeras outras espécies de ocorrência um pouco mais comum na região.

Seguimos para Iracemápolis para o almoço e última parte da passarinhada. Logo na entrada da mata o canto do canário-do-mato (Myiothlypis flaveola) que rendeu um bom tempo de observação mas sem fotos devido a mata fechada, um pouco adiante a vocalização do soldadinho (Antliophia geleata) chamou a atenção, espécie número 1 da lista de prioridades do Raul e pode ser observado e fotografado, mas era um jovem macho e uma fêmea, ainda faltava o macho adulto com seu belo topete vermelho.

Mesmo já tendo mostrado o jovem soldadinho o nosso objetivo era mostrar o individuo adulto, então seguimos em frente na trilha mesmo com o tempo ameaçando virar para chuva, atentos aos movimentos e vocalizações na mata até que após algum tempo um macho adulto pousou em um galho bem próximo de nossas cabeças. Missão cumprida!

No final dos dois dias foram observadas dezenas de espécies, algumas comuns outras bem raras e pontuais, associando sempre algumas dicas de fotografia durante a observação, que segundo o próprio Raul, foram decisivas para que ele conseguisse melhorar a foto de diversas espécie que já possuía e conseguisse outras boas fotos  como do inquieto tapaculo-pintado e o desejado soldadinho.

O argentino observador de aves Raul Sheridan (esq.) com o guia fotógrafo profissional Tiago D. (dir) na entrada da mata em Iracemápolis-SP.

Em breve Raul deve voltar ao Brasil e iremos novamente guia-lo, desta vez em uma região diferente.Para quem quiser saber mais sobre os serviços oferecidos pelo portal ECOFOTO clique aqui. 

Abraços e até a próxima!
Equipe EF.

 

2 Comments:

  1. Nilson Gomes de Oliveira

    Muito bom Thiago…exemplar sua conduta no caso da coruja,uma vez que adentrar propriedade sem a devida autorização pode num futuro ser nocivo para as corujas,sou de um caso que o dono ao ter sua cerca rompida ameaçou matar as aves que eram o motivo das as invasões…Preservar tbm significa respeitar limites,nem sempre vale tudo por um registro.

    • Realmente o nosso fotógrafo é extremamente ético. Recentemente ELE recebeu autorização para acessar a mata de um dos proprietários.

      Obrigado pelo comentários.
      Equipe EF.

Deixe um comentário, ficaremos felizes em saber o que achou!