Falcão-peregrino, um velocista por natureza!

O nosso fotógrafo tem acompanhado o belo falcão-peregrino (Falco peregrinus) em algumas cidades no interior de São Paulo, ave que passa desapercebida no dia a dia das pessoas, mesmo aquelas com interesse na observação de aves, prática conhecida como “birdwatching” e que tem aumentado no Brasil a cada ano.

Falcão-peregrino em pleno voo em Limeira . Créditos Tiago Degaspari - ECOFOTO (DSC_5756)

Nos últimos três anos o nosso fotógrafo observou e fotografou o falcão-peregrino em diversas cidades, comum entre os meses de novembro a março quando a espécie migra fugindo do inverno ou atrás de comida chegando aos grandes centros urbanos.

Momentos especias esses encontros com uma ave tão poderosa, que traz consigo o recorde mundial de velocidade entre todos os vertebrados, podendo atingir mais de 320km/h durante suas caçadas.

Falcão-peregrino em pleno voo em Limeira . Créditos Tiago Degaspari - ECOFOTO (DSC_5749)

A escolha das cidades como ponto de permanência esta associado ao fato dos edifícios e torres de comunicação servirem como poleiro de caça e descanso associado a fartura de alimentos, no caso as pombas-das-rochas (Columba livia) mais conhecida no Brasil como pombo-doméstico, habitante comum das praças e jardins nas cidades.

Falcão-peregrino em Americana . Créditos Tiago Degaspari - ECOFOTO (DSC_0907)

Com porte médio entre 38~53cm e envergadura que pode chegar a 1,20m, o falcão-peregrino alimenta-se de pombos. Habitante de penhascos rochosos ocorre em praticamente todos os continentes, porem sua distribuição fica restrita a certas regiões.

Mapa de ocorrência do Falcão-peregrino no mundo. Fonte: www.wikipedia.org

Mapa de ocorrência do Falcão-peregrino no mundo. Fonte: www.wikipedia.org

Fique atento aos céus da sua cidade, pois a qualquer momento você pode ver um Peregrino passando por você ou descansando em algum poleiro bem no centro da cidade.

Dicas para observação:

  • observe as caixas de ar-condicionado dos prédios e as marquises no topo do prédio;
  • observe também as torres de comunicação e pontos altos que possam servir de poleiro;
  • procures sempre no começo da manhã e final da tarde (no lado sombreado do poleiro);
  • possuem hábitos migratórios, geralmente voltam todos os anos até o mesmo ponto;
  • centros urbanos costumam abrigar um ou mais indivíduos;

Abraços e até a próxima.
Equipe EF.

Deixe um comentário, ficaremos felizes em saber o que achou!